.

NOTICIAS

NOTÍCIAS

Primeiro guarani doutor em Educação na UFRGS apresenta trabalho sobre ‘belas palavras’

Tese de Isael Pinheiro deve virar livro, com bases e fundamentos para o ensino indígena — Foto: Lucas Tillwitz/UFRGS

O ensino ancestral passado através das gerações de indígenas inspirou o primeiro guarani doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Isael da Silva Pinheiro, de 30 anos, a elaborar um estudo sobre a pedagogia guarani, que leva em conta os mitos, a linguagem e os processos de criação próprios dos indígenas.

No fim de janeiro, ele defendeu sua tese em que descreve a Pedagogia Guarani das Belas Palavras. Entenda mais abaixo. O trabalho deve ser transformado em livro, conforme o estudante.

“Faltavam professores preparados para trabalhar com esses conhecimentos”, disse, em entrevista ao g1. Isael nasceu na terra indígena de Barão de Antonina, em São Jerônimo da Serra, no Paraná, e veio morar no RS em 2019, após ser aprovado para o doutorado.

“E quando eu estive na escola, eu percebi que eu fui afastado desse saber, desse conhecimento, por causa que eu tive professores não indígenas, que não conheciam esses conhecimentos. E também não havia uma abertura para trazer os mais velhos, trazer esses conhecimentos para dentro da escola”.

“Não aparecia no currículo esta pedagogia tradicional própria. A gente ficava só em livro didático, aprendendo outros conhecimentos, valorizando muito a literatura, a poesia, a arte da ciência ocidental, de autores que não eram não indígenas”, disse.

Parte dos estudos foram na Universidade de Fraser Valley, no Canadá, onde Isael fez um doutorado sanduíche no ano passado. “Trabalhei com um professor que estuda a história e a epistemologia e metodologias indígenas”, conta.

Pedagogia Guarani das Belas Palavras

O estudo resultou na tese sobre a Arandu, que é a palavra relacionada com a Pedagogia Guarani das Belas Palavras. Consiste em todos os processos próprios de ensino e metodologias voltadas para a educação escolar, a partir das vivências na tekoa, que significa aldeia em guarani.

“Existe uma pedagogia indígena própria que é a transmissão dos conhecimentos através de uma aprendizagem e ensino que é passada em geração em geração, é um conhecimento milenar, principalmente através dos mais velhos”, explica Isael.

“Há também o que eu chamo de a Pedagodia Guarani das Belas Palavras, quando a gente cresce ali na aldeia, a gente escuta os conselhos dos mais velhos, da avó, da mãe. E todas aquelas palavras que eles falam e falaram, principalmente para mim, eu chamo elas de palavras boas, que são as Nhe’Porã”, afirma. Confira abaixo um glossário com as palavras usadas na tese de Isael.

Esse ensino através da ancestralidade é o que Isael classifica como pedagogia das palavras. “Ela é importante para todos os que trabalham e discutem a educação escolar indígena, mas, principalmente, para nós, guaranis. É um material que eu pensei não só para a academia, mas para nós, guaranis. É uma oportunidade de a gente estar produzindo os nossos próprios materiais”.

Parte dos estudos de Isael foram em uma universidade do Canadá — Foto: Arquivo pessoal

Glossário da Pedagogia das Belas Palavras

  • Tekoporã: o bem viver guarani
  • Tekomarangatu: viver as concepções da natureza
  • Tekokatu: respeitar as regras culturais
  • Oguatá aguasse: grande caminhada
  • Nhe’Porã: palavras boas
  • Arandu: sabedoria e conhecimento

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

CONTATO